BLOG GOODSTORAGE

MARKETPLACE. O QUE É E COMO FUNCIONA

É muito comum ouvir falar sobre marketplace, principalmente casos de empresas no setor que estão prosperando. De fato, o modelo de negócios faz muito sucesso, mas o que exatamente é um marketplace?

Marketplace: o que é?

Diferente de um e-commerce, em que um site de vendas comercializa somente produtos de uma loja, o marketplace traz uma proposta mais colaborativa.

No caso, esse modelo de negócio baseia-se em uma plataforma na qual diferentes lojas (e/ou pessoas) podem vender seus produtos.

Os lojistas que tenham interesse em vender em um determinado marketplace precisam se cadastrar (assim como seus produtos) na plataforma.

Em troca de toda a estrutura e divulgação será cobrada uma taxa, forma pela qual a empresa que gerencia o marketplace consegue monetizar e lucrar.

Lucro no marketplace

Com tantos gastos para gerir um site, tais como hospedagem, TI, manutenção etc., uma das grandes questões para quem pensa em ter um marketplace é: como lucrar?

Existem algumas formas de fazer isso e aqui vamos tratar de três principais:

Comissão: é o jeito mais comum para que marketplaces monetizem e lucrem. A comissão geralmente é cobrada na forma de um percentual sobre a venda – podendo variar de acordo com o tamanho dela. Pode também basear-se em uma taxa fixa.

Freemium: o marketplace é oferecido de graça, sem comissão sobre as vendas, mas cobra um valor sobre ferramentas premium. Essas podem ser desde algo que melhore a visibilidade ou que ofereça um serviço de entrega etc.

Assinatura: a assinatura também entra como uma opção, podendo ser mensal ou anual, principalmente se não tem como intermediar as transações dos negócios que estão hospedados.

Vantagens

Maior retenção: é possível que os clientes fiquem mais tempo no site e, inclusive, voltem com frequência pela grande oferta e diversidade de produtos. Afinal, é muito mais prático realizar várias compras em um só site e um só pagamento, do que em vários.

Mais produtos, menos estoque: ter um marketplace é ter a possibilidade de oferecer uma infinidade de produtos sem precisar tê-los em estoque e, consequentemente, arcar com os gastos.

Crescimento exponencial: como a plataforma conta com lojas variadas, públicos igualmente variados são atraídos para ela, tornando a marca mais conhecida, podendo atingir públicos internacionais.

Menos custos com marketing: o potencial viral de um marketplace traz outra grande vantagem e economia, que são os custos com marketing! Como a sua rede é formada por compradores e vendedores, será do interesse dos vendedores atraírem seu público para a plataforma, diminuindo a necessidade de grandes gastos.

Desvantagens

Altos custos com a plataforma: é preciso ter uma ótima estrutura web para manter um site no ar, quanto mais uma plataforma que abriga várias lojas! Os gastos com um bom marketplace podem ser grandes e aqui é bom pensar em dias de grande tráfego, como a Black Friday.

Investimentos em segurança: a segurança na web está se tornando uma questão cada vez mais importante e em um marketplace ela não fica em segundo plano. É preciso fornecer uma rede com a melhor segurança possível para não resultar em problemas para as lojas e clientes.

Falta de controle sobre a experiência do usuário: não dá para garantir que todas as lojas hospedadas no marketplace tratarão super bem os clientes ou cumprirão com as promessas de seus produtos. Ao mesmo tempo, é preciso conseguir resolver problemas para a plataforma não ficar com uma fama ruim.

Questões legais: muitos problemas podem surgir como um marketplace, uma vez que os clientes dessa plataforma são diversos. Por isso, é importante se proteger legalmente em todas as frentes possíveis.

Por esses e outros motivos, se você estiver considerando iniciar um (ou em um marketplace), é uma das melhores oportunidades para iniciar um negócio.

Como oferecer entrega rápida e aumentar sua área de atuação

Hoje em dia uma pequena parcela dos marketplaces consegue oferecer aos seus parceiros a oportunidade de vender e entregar o produto ao seu consumidor no mesmo dia da compra. Mas como isto é possível?

A resposta é simples, os itens de maior saída são divididos por vários centros de distribuição e, quando o cliente efetua a compra de um determinado produto, é enviado o que está na unidade mais próxima do endereço do comprador.

Este procedimento já é muito comum e conhecido em países como os Estados Unidos da América e é chamado de self storage, local onde é possível alugar um box com tamanhos personalizados para a sua necessidade.

A GoodStorage oferece armazenamento de 1m² até 250m² em mais de 12 unidades espalhadas pela cidade de São Paulo, já pensou nas possibilidades que isto dá ao seu negócio?

Sofrer com pouco espaço de estoque gera além de reclamações de clientes pelo alto tempo de entrega ou de logística reversa. É possível crescer com pouco investimento e sem burocracia.

 

 

GoodStorage na mídia

Mais VocêExameEstadãoG1Folha de São PauloJornal da Band
Ligar Faça um orçamento Orçamento Chat Online Chat Online Entre em contato Email 11941251521 Whatsapp